Missão Técnica Portugal e Congresso Internacional de Citros

O GCONCI - Grupo de Consultores em Citros participará na próxima semana do Congresso Internacional de Citros em Valência (Espanha). Como programação Pré-Congresso, o Grupo participou de Missão Técnica na citricultura de Portugal, principalmente na região de Algarve.

 

A região de Algarve, que é a maior região agrícola de Portugal, tem como principais culturas; oliveiras, alfarrobeiras, figueiras, e amendoeiras. Embora a citricultura de Portugal não seja muito representativa em tamanho e número de plantas, possui uma importância para o País do ponto de vista de fruta fresca para mercado. A citricultura corresponde a uma área de 17.000 hectares, sendo somente 254 mil plantas certificadas, a qual se constitui de 58% de laranjas, 22% de tangerinas, e 20% entre limões, limas e toranjas. Existe também um mercado importante de produção e comercialização de cítricos ornamentais, que tem como maior cliente o próprio mercado europeu. Porém, o balanço comercial de citros é negativo, ou seja, importa-se mais do que exporta.

 
Visita ao Viveiro Floral
 
 
A citricultura de Algarve se desenvolveu comercialmente a partir da década de 60, por causa da irrigação. Com a crise Europeia, os citricultores portugueses estão tentando se organizar e buscar oportunidades para obterem maior rentabilidade na cultura.
 
A Missão Técnica do GCONCI teve por objetivo conhecer melhor as técnicas e aspectos da citricultura portuguesa relacionadas às frutas de mercado para agregar mais conhecimento aos consultores nesta área.
 
Durante as visitas do Grupo na região de Algarve, foram abordadas todas as áreas de interesse, desde a produção de mudas até a comercialização de frutas frescas. Um dos viveiros visitados foi o Viveiro Foral, de citros ornamentais, com capacidade de um milhão de unidades por ano, onde se produz vasos de citros em miniatura, como por exemplo; Kunquat, Calamondins, Limões, etc., com valores que variam desde 3,5 a 9,0 Euros por unidade. Após, o Grupo visitou alguns produtores, especializados na produção de variedades, tais como; Valência Late, Lane Late, Newhall, Navelinas, Clementinas, Oronules, e Limões Sicilianos, entre outros. Os solos são básicos (pH alto) e pedregosos, com topografia muito ondulada e regime de chuvas em torno de 400 a 600 mm por ano, exigindo a utilização de irrigação para uma boa produção.
 
Parte da produção de frutas é destinada ao processamento para suco, sendo este procedimento subsidiado pela comunidade europeia com o objetivo de regular o mercado. Uma das empresas de processamento da região de Algarve foi adquirida pela CUTRALE alguns anos atrás.
 
Outra visita importante foi realizada na Cooperativa FRUSOAL, composta de pequenos produtores, onde se acompanha todo o processo desde a produção até a comercialização das frutas. Na visita ao Packing House da cooperativa, foi mostrado o processo de rastreabilidade que vai desde o campo até o destino final, o qual é imperativo para a comercialização na comunidade europeia.
 
Após as visitas de campo, o GCONCI participou de um evento especialmente organizado para a comunidade; o "Encontro Luso-Brasileiro de Citricultura", na Universidade de Algarve, onde participaram produtores, pesquisadores, técnicos, estudantes e os consultores do GCONCI. O professor de fruticultura da instituição, Dr. Amilcar M. Duarte, responsável pela organização do evento, e de toda a programação de visitas em Portugal, apresentou uma visão da citricultura daquele País. Além disso, o técnico do governo responsável pelo programa de certificação de mudas apresentou aspectos da produção de mudas certificadas de citros. Em seguida, o presidente do GCONCI José Eduardo M. Teófilo explicou como o GCONCI está organizado e seu papel na citricultura brasileira, e o consultor Gilberto Tozatti, mostrou uma visão geral da citricultura brasileira para um público de quase 100 pessoas.
 
Em resumo a impressão do GCONCI sobre a citricultura de Portugal é que, apesar de algumas dificuldades, está se reorganizando de forma profissional para atender os seus propósitos, e se posicionar melhor no mercado citrícola europeu e mundial.
 
Nos próximos dias o Grupo estará visitando a citricultura espanhola, nas regiões de Sevilha, Murcia, Alicante, e Valencia.
 
Os consultores do GCONCI estão em Missão Técnica em Portugal e Espanha, e a mesma está sendo organizada pelos consultores Reinaldo D. Corte e Amauri T. Peratelli.

Voltar