GCONCI comemora 20 anos de dedicação à citricultura

 

GCONCI comemora 20 anos de dedicação à citricultura

 

Elo entre as instituições de pesquisa públicas, empresas privadas e o setor produtivo, o Grupo de Consultores em Citros ajudou a conduzir a atividade citrícola a novos patamares de produtividade e excelência

 

A citricultura brasileira apresenta números expressivos que traduzem a grande importância econômica e social que a atividade tem para a economia do país. Além de ser o maior produtor mundial de laranjas, o Brasil também é o maior exportador de suco de laranja, atendendo a diversos países. De 20 anos para cá, foram muitas as transformações e também os desafios enfrentados pelo setor – períodos de recorde de produção; queda de preços; surgimento de novas doenças e pragas, aumentando os custos com tratamento fitossanitário; baixa no consumo global de suco de laranja; busca por tratamentos menos agressivos ao meio ambiente, entre outros.

 

Nesse período, a atividade citrícola soube, no entanto, cavar oportunidades de crescimento durante as fases mais difíceis e contou para isso com a ajuda de profissionais especializados como o Grupo de Consultores em Citros (GCONCI), criado em 1996 para pensar e desenvolver o negócio do citricultor de maneira sólida e sustentável. “O grupo nasceu da necessidade de trocar e difundir informações, e buscar a excelência na consultoria, em uma época em que não se podia mais contar com a extensão rural oficial”, lembra Gilberto Tozatti, um dos fundadores e presidente do grupo por diversas gestões.

 

Tozati destaca o pioneirismo do GCONCI: “Fomos o primeiro grupo de consultores especializados em uma única cultura, o que era um diferencial, além de termos contribuído para a valorização do consultor de citros”.

 

Criado para ser um elo entre as instituições de pesquisa públicas, empresas privadas e o setor produtivo, o GCONCI reúne 18 especialistas que, além de orientar o produtor nas áreas fitossanitária e nutricional, apresentando-lhe as mais modernas tecnologias, dão também assistência em planejamento, estratégia, administração e gestão de pessoas.

 

Com a missão de buscar o aprimoramento técnico constante, levar informações atualizadas ao setor, atender às necessidades dos produtores com inovação, captação e adequação de tecnologias, o grupo pensa a citricultura de forma holística, considerando todo o negócio do citricultor, fazendo-o aprimorar a gestão e crescer, sem deixar de lado a preservação ambiental. Em sua trajetória, criou ainda convênios técnico-científicos com empresas de insumos do setor (como defensivos, fertilizantes e máquinas), contribuindo na elaboração e melhorias de produtos e estratégias, e na sua difusão ao setor.

 

 “A citricultura mudou muito nesses 20 anos. Os desequilíbrios aumentaram, tanto no campo como na economia. Mas o citricultor também mudou a sua abordagem, mostrando-se resiliente, mais profissional e esperançoso de uma citricultura melhor”, diz Hamilton Rocha, atual presidente do GCONCI, já vivenciando a nova boa fase de preços da laranja, premiando quem soube gerir bem sua propriedade e se manter no negócio.

 

Profissionalismo e visão de futuro

 

Acompanhando o trabalho do Grupo desde o início, em 1996, Rubens Feferbaum, médico e também citricultor há mais de 35 anos, enxerga o contexto daquela época e o de hoje como mundos bem diferentes. “Antes, tínhamos problemas em relação a preços e o manejo da cultura era algo muito simplificado. Com o GCONCI, conseguimos uma resposta mais profissional da atividade porque ele se tornou um meio de divulgação de informações técnicas; de troca de experiências entre engenheiros agrônomos, químicos e pesquisadores. Formou-se um grupo muito refinado no sentido técnico e científico”, conta.

 

“Na minha opinião, o trabalho do GCONCI veio para quebrar um paradigma. Trabalho com eles há quatro anos, mas já vinha acompanhando o grupo há oito. Antigamente neste setor, perguntar para um produtor ou um profissional o que havia sido feito numa propriedade que obteve bons resultados não era possível; era segredo. Com o GCONCI, isso mudou”, diz Norberto Costa, citricultor há 11 anos em São João da Boa Vista (SP). Além da divulgação sistemática de informações, Costa destaca também a abertura do Grupo para o uso de novas tecnologias. “O grande diferencial do GCONCI é a sua visão de futuro, trazendo sempre para nós o que há de mais avançado”, completa.

 

Costa diz ainda que, após o início do trabalho com o GCONCI, conseguiu, além de um incremento de produtividade, uma diminuição de custos por caixa de laranja produzida, e uma melhora significativa de sua fruta. O citricultor colheu na última safra 130 mil caixas em uma área de aproximadamente 120 hectares.

 

 

Sobre o GCONCI

 

O Grupo de Consultores em Citros (GCONCI), criado em agosto de 1996 e que reúne 18 consultores especializados em citros, é uma associação técnica sem fins lucrativos, com sede em Cordeirópolis/SP.

 

Os integrantes do GCONCI prestam consultoria técnica direta a produtores responsáveis por mais de 40 milhões de plantas cítricas, o que representa quase 20% da citricultura brasileira. Além da consultoria direta, o  grupo organiza missões técnicas internacional, entre outras ações de difusão e intercâmbio de tecnologia, e lançou o prêmio Hall da Fama da Citricultura Brasileira, em que homenageia uma personalidade de destaque do setor durante a Semana da Citricultura do Instituto Agronômico, em Cordeirópolis.

 

Para saber mais, acesse www.gconci.com.br .

 

Informações para a Imprensa:

Crível Comunicação

Tels.: (11) 2339-9601/9602

Cristina Rappa – cristina@crivel.net

Sílvia Sibalde – silvia@crivel.net

 


Voltar