GCONCI discute situação atual e o futuro do agronegócio citrícola na celebração de seus 20 anos

 

GCONCI discute situação atual e o futuro do agronegócio citrícola na celebração de seus 20 anos

 

Cerca de 220 pessoas, entre citricultores e representantes de instituições de pesquisa, cooperativas e empresas produtoras de insumos para o setor participaram de evento em que foi destacada a trajetória do Grupo de Consultores em Citros,  informados dados atuais de produção e consumo, e ainda contou com palestra sobre o futuro do negócio pelo especialista em marketing rural José Luiz Tejon Megido

 

O Grupo de Consultores em Citros (GCONCI) comemorou os 20 anos de sua criação com um evento na Maison Solanos, em Limeira/SP, na noite da última quinta-feira (19), quando reuniu mais de duas centenas de profissionais com quem se relacionou durante sua trajetória, como citricultores, pesquisadores científicos e professores, representando instituições como os institutos Agronômico (IAC), de Economia Agrícola (IEA) e Biológico (IB) e a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP), além de executivos de cooperativas como a Coopercitrus, e de empresas de insumos do setor.

 

“Somos consultores apaixonados pela citricultura. Nosso objetivo é a excelência na consultoria”, afirmou o atual presidente da entidade, Hamilton Rocha, em sua saudação emocionada de boas-vindas aos presentes à comemoração. Emoção não faltou também no discurso do engenheiro agrônomo Joaquim Teófilo Sobrinho, diretor do Centro de Citricultura Sylvio Moreira do IAC na época da criação do grupo e grande incentivador do GCONCI, que durante anos contou com uma sala nas dependência da instituição de pesquisa.

 

“O GCONCI nasceu da necessidade de troca de informações entre os consultores e da necessidade de uniformizar dados como os das recomendações, para atender ao exigente mercado citrícola da época”, recordou Sobrinho, citando ainda a criação do Dia do Consultor em Citros, pelo grupo, que sempre colaborou com palestras e pesquisas com o Centro.

 

Em seguida, Gilberto Tozatti, um dos fundadores e presidente do grupo por diversas gestões, mostrou os números atuais do setor, no Brasil e nos Estados Unidos, na apresentação “Momento atual da citricultura”, de sua autoria e do colega Maurício Mendes. Na apresentação, o consultor destacou que o HLB, doença também conhecida como greening, tem sido responsável por reduzir a produção da Flórida, onde mais de 80% dos pomares estão infectados. Também no Brasil, o maior produtor mundial, a última safra apresentou quebra de 18%, em função de problemas fitossanitários, climáticos (consequência do El Niño) e da falta de investimentos nos pomares por conta da falta de capitalização dos citricultores.

 

A produção menor se reflete nos preços do suco congelado nas bolsas de Nova York e Rotterdam, que devem aumentar, de acordo com Tozatti e Mendes. “É hora, portanto, de retomada dos investimentos nos pomares. Mas com planejamento”, alertou Tozatti à plateia atenta. Segundo ele, a demanda pelo suco de laranja caiu 14% e a oferta, 31%, na comparação com 2010.

 

O especialista em marketing do agronegócio, professor, jornalista e escritor José Luiz Tejon Megido emocionou e provocou o público ao falar sobre o futuro do agronegócio citrícola, a superação dos desafios, ressaltando fatores como engajamento e foco para se ter sucesso no negócio em um mundo em que a rapidez das mudanças será cada vez mais marcante.   Para Tejon, as mulheres terão papel crescente em um mundo que valorizará muito a inovação, a sustentabilidade e a comunicação. “Não há futuro fora da compreensão da cadeia produtiva como um todo. Cooperativismo e associativismo também serão fundamentais”, alertou no final, falando também da importância do marketing e da comunicação com o consumidor final.

 

O produtor de mudas em Engenheiro Coelho/SP Antônio Camargo, presente ao evento, elogiou as apresentações e o trabalho do GCONCI, destacando especialmente os intercâmbios e missões internacionais organizadas pelo grupo, que trazem informações sobre novas tecnologias de produção. “Essas viagens e esses eventos proporcionam oportunidade de aumento de conhecimento sobre novos produtos e tecnologias”, disse Camargo.

 

Sobre o GCONCI

 

O Grupo de Consultores em Citros (GCONCI), criado em agosto de 1996 e que reúne 18 consultores especializados em citros, é uma associação técnica sem fins lucrativos, com sede em Cordeirópolis/SP.

 

Os integrantes do GCONCI prestam consultoria técnica direta a produtores responsáveis por mais de 40 milhões de plantas cítricas, o que representa quase 20% da citricultura brasileira. Além da consultoria direta, o grupo organiza missões técnicas internacional, entre outras ações de difusão e intercâmbio de tecnologia, e lançou o prêmio Hall da Fama da Citricultura Brasileira, em que homenageia uma personalidade de destaque do setor durante a Semana da Citricultura do Instituto Agronômico, em Cordeirópolis.

 

Para saber mais, acesse www.gconci.com.br.

 

 

Informações para a Imprensa

Crível Comunicação Tels. (11) 2339-9601/9602

Cristina Rappa – cristina@crivel.net

Sílvia Sibalde – silvia@crivel.net


Voltar