Suco de frutas, saúde e criança

 Inúmeras propriedades funcionais fazem do suco de laranja um alimento com alto teor nutricional

 

Enaltecer os benefícios dos sucos  naturais na alimentação das crianças e adultos é tarefa fácil. Ainda mais quando se trata do suco de laranja que apresenta inúmeras propriedades funcionais, benéficas à saúde. Na laranja tudo é bom: o suco é rico em energia e vitaminas (uma laranja contém a necessidade diária de vitamina C), flavonóides, antioxidantes, ácido fólico, minerais (potássio, cálcio, fósforo, magnésio, ferro e zinco) fibras que regulam o funcionamento do intestino, facilita a absorção  de ferro pelo intestino (Tabelas 1, 2, 3), reduz o nível de colesterol melhorando o HDL (colestrerol “bom”) e diminui o LDL (colesterol “ruim”) (Quadro 1). A propósito, a atual tecnologia de enriquecimento dos alimentos tem no suco de laranja um excelente veículo para adição de ferro (prevenção da anemia em crianças e adolescentes - produto a  ser desenvolvido e incluído na merenda escolar), cálcio (adequação nutricional nos jovens e prevenção da osteoporose em adultos e idosos), folatos (adequado para mulheres jovens e gestantes) e ainda, prevenção de doenças cardíacas em adultos combatendo níveis elevados do aminoácido homocisteína. Diversas marcas de suco de laranja já estão disponíveis nos países desenvolvidos com as características citadas acima. Aspecto importante é sua excelente aceitação, pois os aromas e sabores que mais agradam às pessoas, incluindo crianças, são o café, chocolate e cítricos. No entanto, apesar das suas propriedades benéficas à saúde, por que o consumo do suco de laranja tende à estagnação ou diminuição? Preço?  Concorrência com outros sucos? É certo que há razões mercadológicas, mas no decorrer dos últimos anos, presenciamos alguns movimentos que podem  predispor ameaças ao consumo desta nobre fruta. Ressalta-se a divulgação de que sucos naturais, devido ao seu alto conteúdo de carboidratos são indutores da obesidade infantil. Interessante que alguns estudos da literatura médica apontam para esta condição, só que analisando crianças que tomam volume exagerado do produto. É a mesma situação observada no consultório do pediatra quando o cuidador (mãe ou babá) oferece toda hora leite ou fórmula infantil ou bebidas açucaradas ou sucos para “sossegar” a criança; o efeito, além de aumentar a sede e avidez por esses líquidos calóricos é a obesidade em curto prazo. Conclue-se então que leite e sucos não são adequados para a alimentação infantil? Evidente que não! Ambos são alimentos que possuem calorias, proteínas, minerais, vitaminas e micronutrientes; não são “tranquilizantes”, “refresco” e muito menos, apesar da apresentação na forma líquida, água (natural) necessária para saciar a sede e adequar a correta hidratação corpórea.  Ações como a educação alimentar da criança e da família, conhecer o valor dos alimentos, ter uma alimentação equilibrada e saudável, praticar exercícios físicos são os caminhos corretos no combate à epidemia de obesidade infantil. Outro aspecto importante é o da segurança alimentar dos sucos: há de se cuidar para que a presença de resíduos de pesticidas ou contaminante esteja de acordo com as normas internacionais. A fiscalização vem sendo intensificada e o consumo de alimentos orgânicos também. A janela de oportunidades para o consumo de sucos naturais é imensa: cada vez mais as pessoas estão preocupadas com qualidade de vida. Saúde, através da boa alimentação, é a de maior importância, especialmente para crianças e adolescentes. O consumo de alimentos saudáveis é uma tendência irreversível, observada mesmo nos alimentos industrializados. Gigantes multinacionais do setor de alimentos, cuja matéria prima são produtos lácteos (leite e iogurtes), farináceos (biscoitos), água (inclusive refrigerantes) procuram agregar valor de saudabilidade a seus produtos. Desta maneira sucos, especialmente o campeão de qualidade nutricional, o de laranja, tem bons motivos para conquistar o pódium na preferência do consumidor.  Recentemente foi divulgada uma pesquisa onde verificasse que o segmento de sucos à semelhança do leite, ocupa alguns míseros pontos percentuais no universo de bebidas comercializadas no mundo, considerando-se águas, chás, néctares e, em especial, as bebidas carbonatadas. Considero um equívoco a inclusão dos sucos e leite nesta pesquisa. Tratam-se de produtos nutricionais diferenciados. Da mesma forma que o leite e seus derivados, há necessidade permanente de posicionar as propriedades nutricionais do suco de laranja à população através da educação e propaganda, ações realizadas anteriormente pelo GCONCI e pelo antigo Laranja  Brasil. Muito importante é a participação ativa dos representantes da indústria (a exemplo das gigantes da alimentação) nas entidades científicas que promovem ciência e nutrição. Estas ações certamente ocasionarão benefícios à saúde das crianças e suas famílias e também, é claro, para a cadeia produtiva de citros. vem sendo intensificada e o consumo de alimentos orgânicos também. A janela de oportunidades para o consumo de sucos naturais é imensa: cada vez mais as pessoas estão preocupadas com qualidade de vida. Saúde, através da boa alimentação, é a de maior importância, especialmente para crianças e adolescentes. O consumo de alimentos saudáveis é uma tendência irreversível, observada mesmo nos alimentos industrializados. Gigantes multinacionais do setor de alimentos, cuja matéria prima são produtos lácteos (leite e iogurtes), farináceos (biscoitos), água (inclusive refrigerantes) procuram agregar valor de saudabilidade a seus produtos. Desta maneira sucos, especialmente o campeão de qualidade nutricional, o de laranja, tem bons motivos para conquistar o pódium na preferência do consumidor. Recentemente foi divulgada uma pesquisa onde verificase que o segmento de sucos à semelhança do leite, ocupa alguns míseros pontos percentuais no universo de bebidas comercializadas no mundo, considerando-se águas, chás, néctares e, em especial, as bebidas carbonatadas. Considero um equívoco a inclusão dos sucos e leite nesta pesquisa. Tratam-se de produtos nutricionais diferenciados. Da mesma forma que o leite e seus derivados, há necessidade permanente de posicionar as propriedades nutricionais do suco de laranja à população através da educação e propaganda, ações realizadas anteriormente pelo GCONCI e pelo antigo Laranja Brasil. Muito importante  é a participação ativa dos representantes da indústria (a exemplo das gigantes da alimentação) nas entidades científicas que promovem ciência e nutrição. Estas ações certamente ocasionarão benefícios à saúde das crianças e suas famílias e também, é claro, para a cadeia produtiva de citros.
 
Tabela 1. Composição nutricional da laranja/100 g de fruta fresca
Fonte: IBGE-ENDEF, 1987

 

 

 

Tabela 2. Composição nutricional do suco de laranja natural e reconstituído* à 11.8º B (100mL)
Fonte: IBGE-ENDEF, 1987
 
 
  

 

Tabela 3. Oferta diária de nutrientes/200 mL (1 copo) de suco de laranja

 

 

Quadro 1. Laranja e Flavonóides.

 

 

Nutólogo Dr. Rubens Feferbaum

Professor Livre-Docente em Pedriatia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Diretor dos Departamentos Científicos da Sociedade de Pediatria de São Paulo e Citricultor no Sudoeste Paulista.

 

(matéria veiculada na Revista Citricultura Atual, nº 78 de out.2010)

 

 

 

 


Voltar